Tecnisa tem R$ 2 bi como patamar de lançamentos.

Crescimento organicoFonte: Valor Econômico, Chiara Quintão, 17/jan
Após fechar 2013 como o ano que marcou sua guinada, a Tecnisa está otimista em relação a 2014. “O ano passado foi fantástico e marcou a recuperação da empresa, com realização de boa parte dos ajustes necessários. Em 2014, mantemos o otimismo”, diz o diretor financeiro e de relações com investidores da incorporadora, Vasco Barcellos. Segundo ele, a Tecnisa continua aprimorando a execução dos projetos e “fazendo melhores negócios”.
A incorporadora não tem meta de lançamentos, mas, de acordo com Barcellos, o patamar “ótimo” é de R$ 2 bilhões ao ano. Em 2013, a Tecnisa lançou R$ 1,88 bilhão, 86% acima do Valor Geral de Vendas (VGV) registrado em 2012. O Jardim das Perdizes, maior projeto desenvolvido pela Tecnisa, respondeu por dois terços do VGV lançado pela empresa no ano passado.
Conforme o diretor de relações com investidores, com o lançamento do Jardim das Perdizes, foi possível evitar a concentração elevada de novos projetos no quarto trimestre, como é comum no setor. “Isso contribui para melhor alocação de recursos e ajuda na execução”, conta Barcellos. A Tecnisa lançou R$ 262 milhões no quarto trimestre.
No ano passado, as vendas contratadas líquidas da incorporadora somaram R$ 1,762 bilhão, 61% acima do VGV comercializado em 2012. No quarto trimestre, a companhia vendeu R$ 1,093 bilhão. A velocidade de vendas medida pelo indicador VSO foi de 45% em 2013.
As vendas líquidas da companhia foram prejudicadas pelo elevado volume de distratos registrado no ano passado, em decorrência de mais entregas de obras que tiveram atraso no cumprimento dos cronogramas. A empresa registrou distratos de R$ 116 milhões no trimestre e de R$ 500 milhões no ano. “O volume de distratos foi recorde em 2013. A tendência é que o número caia neste ano”, diz o diretor de relações com investidores.
As entregas cresceram 64%, para R$ 1,394 bilhão em 2013. Os estoques, no fim de 2013, totalizavam R$ 2,248 milhões, o equivalente a dois meses de vendas.
O banco de terrenos da Tecnisa corresponde ao VGV potencial de R$ 6,86 bilhões, com participação do Jardim das Perdizes de cerca de R$ 2 bilhões. Atualmente, a incorporadora tem R$ 388 milhões em produtos aprovados em São Paulo. Os projetos dos empreendimentos residenciais e comerciais previstos para a segunda fase do Jardim das Perdizes estão em fase de aprovação.
A parcela do Jardim das Perdizes nos lançamentos do ano vai depender das licenças a serem obtidas. No segmento residencial, as unidades residenciais dos empreendimentos do Jardim das Perdizes em fase de aprovação têm de 50 m2 a 80 m2. No comercial, a empresa busca licenças para um hotel, uma torre de grandes lajes corporativas e outra de salas. O início do lançamento da segunda fase poderá ocorrer no primeiro semestre.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s