Bancos

Prazo de amortização é de até 360 meses

 

Dentre as características da linha de crédito imobiliário da Nossa Caixa, o financiamento é voltado para a aquisição de imóvel novo ou usado e para construção, com opções de planos com taxa prefixada e pós-fixada.

Sem valor máximo da residência, o valor de financiamento é de R$ 20 mil a R$ 800 mil. O prazo de amortização é entre 18 e 360 meses. A quitação do saldo devedor pode ser antecipada. O débito é feito em conta corrente.

O FGTS pode ser utilizado na compra de unidades para fins de poupança ou redução do valor do financiamento. Já o percentual máximo de financiamento é de 80% do valor do imóvel.

Para residências avaliadas em até R$ 500 mil ou financiamentos com limite de R$ 450 mil, a operação é pelo Sistema Financeiro da Habitação. Para unidades acima de R$ 500 mil ou financiamentos que ultrapassem R$ 450 mil, a operação é realizada pela Taxa de Mercado.

O plano com taxa pré-fixada não tem atualização do saldo devedor e das prestações de amortização e juros. Já o plano pós-fixado apresenta a atualização mensal do saldo devedor e das prestações pelos índices de remuneração básica dos depósitos de poupança.

A linha de crédito imobiliário da Nossa Caixa também conta com coberturas para os sinistros de morte, invalidez permanente e danos físicos no imóvel.

 

 

Santander oferece parcelas atualizáveis até 30 anos

 

Criado para atender as mais variadas necessidades dos clientes, o crédito imobiliário Super Casa do banco Santander oferece financiamentos com parcelas atualizadas pela TR e juros reduzidos para compradores com renda composta a partir de R$ l mil, com comprometimento de até 27% da renda bruta composta.

A renda pode ser composta por até duas pessoas, sem a necessidade de comprovar parentesco. O crédito também possibilita a utilização do FGTS, de acordo com as regras vigentes. O financiamento pode ser feito em até 80% do valor do imóvel, pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

Com Sistema de Amortização Constante (SAC) que pode ser efetuado de forma constante, o Super Casa permite a inclusão das despesas com certidões, Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), registro do contrato e as tarifas no valor do contrato.

No crédito do Santander, o cliente  conta  com  seguro  do imóvel, que cobre a residência contra incêndio e outros eventos de causa externa, que ocasionarem danos parciais ou totais da unidade no período do financiamento. Outra vantagem é o seguro de vida, com cobertura no caso de morte ou invalidez permanente, quitando a parcela do saldo devedor proporcional à composição de renda do contratante.

Confira as taxas aplicadas de acordo com as faixas de preços dos imóveis.

 

entre           R$ 40 mil      e        R$ 120 mil              8,9%   ano

entre           R$ 120 mil    e        R$ 500 mil             10.5%ano

acima de      R$ 500 mil                                     11%    ano

 

Conheça o Credimóvel do HSBC

 

Também dentre as opções de crédito imobiliário, o produto do HSBC – Credimóvel -, apresenta um plano de financiamento de até dez anos com taxa de 1% ao mês e parcelas decrescentes. O serviço de despachante e os custos para emissão das certidões são cobertos.

Com Sistema de Amortização Constante (SAC), a linha permite também financiar as despesas acessórias – Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e Tarifa de Inscrição e Expediente (TIE).

O cliente pode apticar o FGTS para quitar parte do valor do imóvel de até R$ 350 mil. O comprometimento máximo da renda é de 30% da renda bruta mensal do comprador, baseada no mês anterior ao da contratação. O Credimóvel permite a composição da renda entre os adquiren-tes, independente do vínculo de parentesco. A renda mínima necessária é de R$ 1,5 mil.

 O percentual do financiamento imobiliário é de até 80% do preço da unidade. O valor do imóvel é a partir de R$ 100 mil, com valor de financiamento entre R$ 50 mil e R$ 700 mil.

No caso de composição de renda entre clientes, o Credimóvel permite o financiamento de até 70% do valor da unidade. Já a garantia é pela Alienação Fiduciária do Imóvel.

 

Como usar o FGTS no Itaú Residencial

Recurso que auxilia na aquisição de imóveis, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pode ser utilizado no Itaú Residencial. Os fundos podem ser aplicados para pagamento de parte do valor de compra, para a amortização extraordinária ou liquidação do saldo devedor, somente após a contratação.

Para que o FGTS possa ser usado devem ser cumpridos requisitos definidos pela Caixa Econômica Federal. Uma das condições é que se deve comprovar no mínimo 36 depósitos na conta do Fundo de Garantia, e não se pode ter sido proprietário da unidade que pretende adquirir nos últimos dois anos. Também não deve ser comprador ou detentor de fração acima de 40% ou usufrutuário de outra residência concluída ou em construção no município em que exerce sua ocupação principal, bem como cidades vizinhas ou que façam parte da mesma região metropolitana onde viva, se o financiamento for pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH).

No Itaú Residencial, o FGTS deve ser aplicado na aquisição de imóveis residenciais, com valor inferior a R$ 500 mil. A unidade não deve ter sido adquirida com recursos do Fundo de Garantia nos últimos três anos.

Já o valor a ser utilizado não pode ultrapassar o menor preço entre a diferença do valor financiado e o valor de avaliação do imóvel de compra e venda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s